Os Tipos de Sermões mais Pregados. parte 4 – Biográfico

Sermão Biográfico

Os Tipos de Sermões mais Pregados. parte 4 – Biográfico

Sermão biográfico faz parte de uma serie de artigos intitulada: Os tipos de sermões mais pregados. Estamos apresentando alguns tipos de sermões, os quais são muitos utilizados pela maioria dos grandes pregadores . Estamos nos atendo aos mais relevantes e por isso damos destaques aos seguinte tipos de sermões: Temático, Textual, Expositivo, Biográfico e Extemporâneo. Além desses, existem ainda outros tipos, como por exemplo: Monologo Contestativo, Ilustrativo etc. Que mencionamos aqui apenas como informação, mas não trataremos deles neste estudo.

O Sermão Biográfico

Desta forma na sequencia dessa série chegou o momento de abordarmos sobre o Sermão Biográfico. Por sermão biográfico disse-se daquele que trata da vida de um personagem da bíblia. Uma característica interessante da Palavra de Deus, a Bíblia, é a de apresentar os homens e as mulheres que formam as narrativas  exatamente como eles são. Os autores da Bíblia não se preocuparam em esconder esse ou aquele defeito, pelo contrario, fizeram questão de mostrar tanto os pontos fortes como suas fraquezas. O Sermão biográfico portanto, é o tipo de sermão que se relaciona principalmente com ensino baseado na vida e no exemplo dos personagens bíblicos. Resume-se basicamente em estudar detalhadamente um personagem a fim de se aprender o quanto for possível com as  suas vidas.

Vantagens do Sermão Biográfico

  1. Aborda as Realidades da Vida.  Mostra os pontos fracos e fortes sem mascaras.
  2. Aprendemos com a experiencia deles, seja evitando os erros que cometerão ou copiando seus sucessos.

Como Preparar  um Sermão Biográfico

  1. Escolha um Personagem para o sermão biográfico . Para iniciar nesse tipo de pregação é importante em primeiro lugar escolher um personagem da bíblia,  como por exemplo: Moisés, Abrão, Paulo, Elias, Josué, Pedro,  Davi ou um outro que você sinta uma certa curiosidade em saber detalhes da sua vida. Assim como foi citado nomes de homens, há também as mulheres, cujas vida têm uma mensagem especial a ser transmitida.
  2. Estude a vida desse personagem. Tome em suas mãos uma boa Concordância Bíblia e comece a ler tudo que estiver escrito a respeito do personagem escolhido. Leia Sobre: a) Seu nascimento; b) Significado de seu nome; c)  As circunstancias de seu crescimento. Tente responder as seguintes perguntas sobre esse personagem: 1- O que Deus queria realizar através de sua vida? ; 2- Como Deus revelou o seu proposito para essa vida?; 3-o que podemos aprender com o tratamento de Deus em sua vida?; 4- Qual foi o segredo  do seu sucesso? ; 5- Como foi o final de sua vida? 6- Quais os pontos positivos e negativos em sua vida que devem ser  seguidos ou evitados? Qual foi o ensinamento que teve através do estudo dessa vida?

Modelo de um sermão Biográfico

Apresentamos agora um modelo de sermão biográfico baseado na vida de Davi extraído do livro “O Cajado do Pastor”.

 TÍTULO: DAVI, UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS (AT 13:22)

INTRODUÇÃO.

O nome dele significa “Amado de Deus”. “Ele é chamado de: ‘‘um homem segundo o coração de Deus.”

Por que Deus o chamou assim?

O que foi que agradou ao coração de Deus?

Há obviamente muito que podemos aprender com este homem!

A.           ERA UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS

1.            Davi tinha um lugar especial no coração de Deus

2.            É maravilhoso que Deus encontre tanta alegria num ser humano.

B.            NÃO ERA UM HOMEM PERFEITO

1.            Sua fraqueza tornou-se conhecida por todos. Contudo, isto não alterou o sentimento de Deus em relação a ele.

2.            Estamos longe de sermos perfeitos também, e contudo Deus pode encontrar alegria em nós.

C.            ERA UMA PESSOA MUITO “HUMANA “

1.            Uma típica mistura de pontos fortes e fracos.

2.            Ansiava agradar a Deus… e contudo, entristecia-O muito frequentemente.

Ansiava pelo governo de Deus em sua vida… e contudo, fazia as coisas de seu próprio modo.

4.            Subiu a grandes alturas… e desceu a tristes profundezas.

5.            Davi não era um super homem. Ele era verdadeiramente humano, assim como nós somos!

D.           FOI ESCOLHIDO PARA UMA TAREFA ESPECIAL

Deus o escolheu dentre os seus irmãos mais velhos e que exteriormente causavam uma melhor impressão.

E.            ELE TEVE DE SER TESTADO.

1.            Todo homem que é chamado por Deus tem de ser testado e provado.

2.            Jesus foi testado no deserto (Mt 4:1-11).

3.            Não estranhe quando você é testado (1 Pe4:12).

4.            Depois que você tiver sofrido por algum tempo, Deus aperfeiçoará, fortalecerá e estabelecerá a sua vida(l Pe 5:10).

F.            DA VI FOI TESTADO A TRA VÉS DEBATSEBA (2 SM 11)

1.            Estava espiritualmente “desguarnecido”… Tinha na ocasião cinquenta anos de idade… Já havia sido rei por vinte anos. Como é fácil ficarmos desguarnecidos!

2.            Estava demasiadamente seguro de si próprio. Nunca confie no braço da carne!

3.            Momentos de ociosidade levaram-no à sua queda. Deveria estar na frente de batalha. Satanás aproveita-se das ocasiões de ociosidade.

4.            A prosperidade material fomentou a sensualidade. Paulo disciplinava a sua carne para certificar-se de que não se tornaria um fracasso espiritual (1 Co 9:27).

5.            Fracassou em vencer a tentação enquanto ela ainda estava em sua mente. Todas as tentações começam nos pensamentos. Este é o lugar mais fácil para derrota- Ias. Destrua os pensamentos e imaginações (2 Co 10:5). A nossa falha em fazermos isto pode causar um desastre.

G.           O SEU ARREPENDIMENTO (SL 51:1-5) Foi  a sinceridade  de  Davi no

arrependimento que granjeou-lhe a estima de Deus.

1. Ele reconheceu a sua transgressão.

Não tentou culpar uma outra pessoa

2.            Arrependeu-se profundamente da sua iniquidade.

3.            Buscou sinceramente o perdão.

4.            Clamou pela purificação.

5.            Buscou um coração puro e um espírito reto.

H. O SEU SOFRIMENTO (SL 32:3,4: 77:2-6)

1.            Uma pesada convicção de pecado: dia e noite.

2.            Lágrimas de remorso.

3.            Os seus ossos envelheceram. /.

I. O QUE DEUS PROCUROU REALIZAR (SL 51:6,10,17)

1.            Verdade no íntimo.

2.            Um coração puro e um espírito: reto.

3.            Um quebrantamento no espírito e um coração contrito.

J. PARA QUE O SEU SERVO PUDESSE SER:

1.            Uma pessoa mansa e humilde.

2.            Uma pessoa realmente alegre.

3.            Sustentada pelo livre Espírito de Deus.

4.            Um homem segundo o próprio coração de Deus.

Assista também nossa serie de videos sobre como preparar esboços de sermões  e caso deseje faça um de nossos cursos.

Leia os outros artigos dessa série:

Os tipos de sermões mais pregados.parte 1- Temático 

Os tipos de sermões mais pregados.parte 2- Textual

Os tipos de sermões mais pregados.parte 3 – Expositivo

Inscreva-se para receber novos artigos clique no link abaixo.

Subscreva Na Escola Para Pregadores por Email

Compartilhe com seus amigos no facebook.

Top 10 Vídeos do Canal Pastor Silvano

Top 10 Vídeos do Canal Pastor Silvano

Hoje quero apenas falar dos dez videos mais assistidos  em meu canal do Youtube, você que acompanha  meu trabalho, talvez ainda não tenha tido a oportunidade de assistir a essas videos aulas que são dicas preciosas para pastores e pregadores iniciantes. Aproveite para  se   inscrever em nosso canal do Youtube : http://www.youtube.com/reissilvanopr

  1. Aula 1- Como Preparar Esboço de Sermão
  2. Vídeo aula 2- Texto Biblico Como Preparar Sermão
  3. Como Estudar a Bíblia – Primeiro Método
  4. Video aula 3- Introdução Curso de Como Preparar Esboço de Sermão
  5. Como Estudar a bíblia – Três Métodos Simples
  6. Técnicas para Preparar projeto de Pesquisa
  7. A videira verdadeira – Russel Sheed
  8. Como Interpretar a Bíblia – Augusto Nicodemos
  9. Curso de Sermão – Partes essenciais
  10. Curso de sermão – Conclusão

Top 10 vídeos mais assistidos em meu canal pode  ser compartilhado caso deseje.

Não se esqueça de se inscrever em nosso canal no youtube: http://www.youtube.com/reissilvanopr

Deus abençoe

 

Conselhos Para Criar Filhos

Conselhos Para Criar Filhos

Se eu tivesse meu filho para criar de novo,
Eu pintaria mais com meus dedos e apontaria para eles muito menos.
Eu passaria menos tempo corrigindo e mais tempo conversando.
Eu tiraria meus olhos do meu relógio e perceberia mais o quão rápido o tempo está se passando.

Eu me importaria em saber menos, e saberia me importar mais.
Eu passaria mais tempo brincando com eles.
Eu ficaria menos sério(a) e me divertiria mais.

Eu correria mais com eles e olharia mais as estrelas.
Eu seria menos firme, mas, firmaria mais meu amor por eles.
Eu reformaria a auto estima, e deixaria a reforma da casa para depois.
Eu amaria menos a força, e viveria mais a força do amor. — autor desconhecido

Cinco Ideias para Cultivar o Evangelismo

Cinco Ideias para Cultivar o Evangelismo

Matt Merker30 de Junho de 2014 - Evangelização

O que você precisa para fazer evangelismo? Os ingredientes não são muitos. Você precisa do evangelho, as boas novas de Jesus Cristo. Você precisa de um evangelista, alguém que anuncie essas boas novas. E tem mais uma coisa: você precisa de público — pelo menos uma pessoa que ainda não creu no evangelho.

Para muitos pastores, essa última é a parte mais difícil. Em uma semana repleta de preparo de sermão, reuniões, aconselhamento, administração, visitas a hospitais e ligações tarde da noite pedindo por ajuda; sem mencionar o cuidado da sua própria alma e da sua família, como o pregador consegue encontrar tempo para compartilhar as boas novas com incrédulos?

3 Ingredientes para uma Cultura Evangelística na Igreja

3 Ingredientes para uma Cultura Evangelística na Igreja3 Ingredientes para uma Cultura Evangelística na Igreja

Mike McKinley23 de Junho de 2014 - Cultura

Eu estou convencido de que é melhor que a sua igreja tenha uma cultura evangelística do que apenas uma série de programas evangelísticos.

Em uma igreja com uma abordagem evangelística orientada por programas, compartilhar o evangelho pode se tornar algo mais para certas pessoas em certos momentos, como quando a equipe de evangelismo sai para fazer visitações.

Mas em uma igreja com uma cultura evangelística, cada membro é encorajado a desempenhar um papel dentro do esforço geral da igreja, para alcançar pessoas à sua volta com a mensagem da salvação em Jesus. Evangelismo se torna parte da vida de todo crente.

Três ingredientes de uma cultura evangelística

Se você está procurando criar uma cultura evangelística na sua igreja local, aqui estão três ingredientes que podem ajudar.

1. O Evangelho: o Combustível para uma Cultura Evangelística

A mensagem do evangelho é o combustível que alimenta uma cultura evangelística em uma igreja. Todos nós naturalmente compartilhamos coisas que animam os nossos corações. Se os Philadelphia Eagles algum dia ganhassem o Super Bowl (eu sei…), você não conseguiria me fazer parar de falar sobre isso. Da mesma maneira, se queremos criar culturas em nossa igreja onde é natural que os membros falem sobre a mensagem do evangelho a não-cristãos, então precisamos ajudar os nossos membros a se apaixonarem profundamente pelo evangelho.

Isso significa que eles precisam entender a mensagem do evangelho. Significa também que a beleza da mensagem do evangelho deve ser colocada em evidência semana após semana nas nossas igrejas. Quando cristãos compreendem verdadeiramente a profundidade do seu pecado, a maravilhosa santidade de Deus, a perfeição de Cristo, a profundidade de seu sofrimento por eles, o poder da ressurreição e o dom da vida eterna para todos os que se arrependem e creem, as nossas afeições por Cristo crescerão.

A mensagem do evangelho também liberta cristãos de motivações que podem levá-los a não gostar de evangelismo. O evangelho diz que nós não temos que evangelizar para ganhar o amor de Deus. Nossa posição na família de Deus não depende do quão frequentemente compartilhamos o evangelho. Em vez disso, podemos ter certeza do amor de Deus, o que nos liberta da esmagadora preocupação com a opinião das pessoas à nossa volta, o que nos faz ter medo de falar sobre Jesus.

2. Oração: o Poder de uma Cultura Evangelística

Segundo, uma igreja que está compartilhando o evangelho deve ser comprometida com a oração. O evangelismo parece ser uma tarefa sem muita esperança. Nós estamos chamando pessoas espiritualmente mortas a abraçar a vida. Como equiparemos e encorajaremos pessoas para esse trabalho? Isso parece absolutamente inútil.

É por isso que uma cultura evangelística deve começar com uma cultura de oração. Na oração, os cristãos vão ao Senhor com uma confissão da sua insuficiência para a tarefa do evangelismo e da suficiente força de Deus. Somente Deus pode fazer as sementes que plantamos brotarem para a vida eterna em nossos ouvintes, então devemos começar com a oração.

Na nossa igreja, isso acontece especialmente nas noites de domingo. Nós nos reunimos como congregação para orar para que o Senhor espalhe o seu evangelho através de nós. As pessoas compartilham conversas sobre o evangelho que tiveram durante a semana anterior ou oportunidades que elas esperam ter na semana que virá.

Esse momento de oração serve para alguns propósitos. Em primeiro lugar, ele é um comprometimento dessas coisas ao Senhor, que normalmente faz com que peçamos antes que recebamos (Tg 4.2).

Em segundo lugar, ele envolve toda a igreja no trabalho de compartilhar o evangelho. Não é um fardo ou um projeto que empreendemos sozinhos, mas temos irmãos e irmãs para orar e nos encorajar.

Em terceiro lugar, esse compartilhamento deixa claro que evangelismo é trabalho de cristãos “normais”. As pessoas que pedem por oração normalmente não são pastores, presbíteros ou evangelistas talentosos. São apenas crentes que abraçaram o seu chamado de compartilhar as boas novas com as pessoas à sua volta.

Por último, esse momento de oração dá às pessoas um bom ponto para começar a alcançar os seus vizinhos e colegas de trabalho. Se as pessoas estão nervosas ou incertas quanto a compartilhar as boas novas, nós as encorajamos a começar com oração. Elas podem orar para que o Senhor dê a elas oportunidades, e que ele traga à atenção delas pessoas que precisam do evangelho. Esse é um primeiro passo muito menos intimidador do que sair correndo com um folheto na mão.

3. Treinamento: o modelo para uma Cultura Evangelística.

Um terceiro ingrediente é treinamento, o modelo para uma cultura evangelística. Lembre-se de que o objetivo é que as nossas igrejas tenham culturas evangelísticas em vez de meros programas evangelísticos. Mas isso não significa que não haja lugar para que a liderança organize e equipe pessoas para compartilhar o evangelho. Na verdade, um amor pelo evangelho e oração podem não ser o suficiente para motivar cristãos a um estilo de vida de evangelismo.

Embora o evangelismo venha naturalmente para algumas pessoas na sua congregação, haverá muitas outras que amam o evangelho e oram fielmente, mas ainda assim precisam ser equipadas para compartilhar o evangelho. Aqui estão algumas maneiras através das quais a liderança poderá equipar a congregação.

Recomende bons livros sobre o tema. “Evangelização e a Soberania de Deus” de J.I. Packer e “Speaking of Jesus” de Mack Stiles são dois dos meus favoritos. Leia esses livros com as pessoas que você está discipulando, dê a pessoas que irão lê-los ou disponibilize-os na livraria da sua igreja.

Leve as pessoas com você quando tiver uma chance de compartilhar o evangelho. Quando sou convidado para dar uma palestra evangelística, eu levo comigo um jovem da minha igreja. É uma boa oportunidade para mostrar a eles como compartilhar as boas novas.

Fale a incrédulos em seus sermões. Os seus membros crescerão ao ouvir você envolver pessoas que não conhecem Jesus com as reivindicações do evangelho. Tome tempo para considerar cuidadosamente as perguntas ou objeções que um incrédulo possa ter quanto à mensagem do seu sermão, e então fale sobre essas questões.

Organize reuniões evangelísticas onde as pessoas possam trazer amigos e receber ajuda para compartilhar o evangelho. Se a sua igreja pode hospedar um café evangelístico ou um programa como Explorando o Cristianismo, você dará oportunidade para os seus membros convidarem os amigos e observarem como eles também podem compartilhar o evangelho.

Melhor do que o melhor programa

Não existe um programa que possa criar uma cultura evangelística na sua igreja. Em vez disso, ela vai exigir que a liderança ensine, dê o exemplo e ore até que os membros da igreja percebam que compartilhar o evangelho é seu privilégio e responsabilidade. Uma igreja com tal cultura será muito mais frutífera e eficaz do que uma igreja com os mais eficazes programas e estratégias.

Por Mike McKinley. Extraído do site www.9marks.org.Copyright © 2014 9Marks. Original: Three Ingredients for an Evangelistic Church Culture

Este artigo faz parte da versão de Setembro-Outubro de 2013, do 9Marks Journal.

Tradução: Alan Cristie. Revisão: Renata do Espírito Santo – © Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br. Original: 3 Ingredientes para uma Cultura Evangelística na Igreja

Hide me
Inscreva-se abaixo para receber novos artigos
Deixe seu Email:
Show me
Build an optin email list in WordPress [Free Software]